Marketing Digital e Turismo: a influência na sua próxima viagem

evolution-technology-tourism
8 minutos para ler

Este post propõe uma reflexão sobre a interação entre marketing digital e turismo nos dias atuais. Qual o ponto de encontro entre os dois ? Estamos em uma nova era em que o marketing é mais importante que a viagem em si ? Esta análise evidencia alguns dos nossos princípios e como eles impactam nas viagens dos nossos clientes.

A revolução da internet no turismo

Nas últimas décadas, o mundo, o mercado de turismo, a tecnologia e o marketing mudaram bastante. Evoluir tecnologicamente é um objetivo permanente da ACT, mas somos bastante seletivos sobre mudanças em nossa filosofia empresarial e visão sobre viagens. Se a tecnologia se renova em curtos intervalos de tempo, o mesmo não ocorre com os nossos fundamentos.

Pouco antes da fundação da ACT, em 1996, tive o privilégio de passar um ano viajando, em um mundo ainda sem internet de grande escala. Avisar em casa que estávamos seguros no Camboja era uma tarefa complexa: ligações telefônicas internacionais eram uma aventura em muitos países. A ausência do whatsapp e cia. fazia a comunicação impensavelmente mais cara e difícil.

A explosão da internet foi fundamental para que pudéssemos colocar em prática o nosso modelo de negócio: uma operadora altamente especializada no destino, com atuação de vendas no mercado global, mas sem sucumbir ao turismo de massa.

Paralelamente, a tecnologia trouxe novas ferramentas que revolucionaram o mercado de turismo. Muitas empresas tradicionais do setor, meras revendedoras de passagens ou hotéis, menos eficientes que as novas tecnologias de internet e sem agregar valor ao cliente, desapareceram ou tiveram que se reinventar neste processo. Mas a tecnologia ainda tem alguns limites.

Comprar uma passagem de São Paulo para Miami no site da American Airlines é fácil. Prefere comparar as tarifas de diversas empresas ? OTA’s (online travel agencies) possuem ferramentas online com acesso a bancos de dados, que entregam diversas combinações de rotas e tarifas.

Mas como comprar online um roteiro aéreo na África, com 12 voos em 4 empresas aéreas diferentes e de portes distintos, alguns voos internacionais, outros regionais, domésticos e entre reservas de safári ? E quando estes 12 voos estão conectados a uma série de serviços e fornecedores terrestres que operam com regras e moedas distintas ?

Ferramentas online no turismo funcionam muito bem para produtos isolados ou pacotes básicos. Quando se demanda um produto sofisticado em destinos mais complexos, as limitações da tecnologia são claras e evidentes.

A evolução do marketing digital no turismo

Da mesma forma que a internet disponibilizou ferramentas úteis e definitivas ao viajante independente, também inundou o ciberespaço com uma quantidade assustadora de conteúdos: sites, blogs, mídias sociais, e-mails. Apresentam uma enorme variação em termos de qualidade, desde conteúdos excelentes até material impublicável.

Hoje em dia todos se perguntam sobre a credibilidade das fontes e dos fatos quando lêem uma notícia na internet, seja em um site de notícias ou em uma rede social. O mesmo não ocorre na esfera do turismo: o leitor costuma estar menos atento e seletivo quando lê uma reportagem sobre praias do que quando lê um artigo sobre política ou economia. Claro, o impacto é menor. Mas se a reportagem ou post daquela praia influenciar as suas próximas férias, é desejável que a sua fonte seja confiável.

O marketing digital no turismo possibilita estratégias variadas, como marketing de atração (inbound), marketing de conteúdo, SEO, links patrocinados, mídias sociais, e-mail marketing e muitos outros. Uma diferença notável com relação ao marketing tradicional é a disputa por espaço, não apenas entre as empresas do setor, mas por qualquer um que se julgue apto a produzir conteúdos relacionados a turismo (claro, exclui-se nessa análise conteúdos de caráter privado e pessoal).

Embora não se possa generalizar (com critério sempre é possível encontrar conteúdo de qualidade), basta pesquisar qualquer tópico sobre viagens e os mecanismos de busca retornarão uma quantidade enorme de informação inútil, incorreta e imprecisa. Isso ocorre devido a alguns fatores principais:

  • competição por relevância nos mecanismos de busca e mídias sociais, gerando conteúdo redundante e superficial
  • espaço democrático para pseudoespecialistas de diversos setores: turistas, profissionais de turismo ou marketing digital (blogueiros, influenciadores), jornalistas e afins
  • limitação de qualidade do produto (pacote) na venda online, nivelando a oferta por baixo

Tanto o site como o blog da Atlantic Connection Travel preocupam-se com o posicionamento nos mecanismos de busca, fator essencial para que possamos ter visibilidade. Entretanto, a qualidade do nosso conteúdo é fator inegociável. Estamos inseridos no contexto atual do marketing digital, mas não adotamos modelos pré-estabelecidos. Seguimos a nossa cartilha específica, que influencia diretamente os nossos produtos e consequentemente a viagem de cada cliente.

Os 5 Princípios Operacionais da ACT

Ao longo de décadas de atuação, desenvolvemos o nosso DNA como empresa, diretamente relacionado à nossa filosofia em viagens. Nossos princípios estão espelhados em nosso marketing tradicional e digital, mas não se limitam a ele: são os fatores que nos conferem autenticidade e diferenciação.

1) Modelo inovador de operadora de viagens, com base na profunda especialização do produto e distribuição global.

Efeito: somos opostos ao modelo tradicional de agência de turismo, com oferta de produto generalista não especializado e distribuição local.

2) Aversão ao turismo de massa, que gera uma série de impactos negativos ao destino e população local.

Efeito: limite de atendimento, comprometimento com a personalização e qualidade do produto, entrega ao cliente, e não com volume de vendas.

3) Pioneirismo em critérios de sustentabilidade na atividade turística.

Efeito: estabelecemos critérios rígidos na seleção de fornecedores comprometidos com princípios de sustentabilidade.

4) Atuação como operadora e não agência de viagens.

Efeito: produtos exclusivos, sem intermediários. Somos responsáveis por cada detalhe do seu roteiro e negociamos diretamente com todos os fornecedores.

5) Estrutura reduzida e profissionais especializados e treinados nos destinos que operamos.

Efeito: somos blindados às crises econômicas ou cambiais e nossos profissionais são altamente qualificados na nossa esfera de atuação.

Os 5 Princípios de Marketing Digital da ACT

Em um universo dominado por comportamentos condicionados em mídias sociais e pelos manuais de boas práticas dos gurus do marketing digital, preferimos escolher e extrair apenas aquilo que nos agrada e nos mantêm próximos ao nosso público, em coerência com os nossos fundamentos.

1) Abdicamos de modismos usuais no mercado de turismo, mantendo a consistência e os princípios que orientam a formação dos nossos produtos.

Efeito: não vendemos, precificamos ou fatiamos “experiências”; a base de qualquer produto da ACT é a experiência agregada no conjunto da viagem.

2) Evitamos segmentações, qualificações preconceituosas ou rótulos com finalidade de marketing (exemplo: viagens de luxo, viagens de aventura, destinos exóticos).

Efeito: nosso produto é multidisciplinar e agrega diversos segmentos; quando o cliente demanda o específico, estamos prontos a atender.

3) Abraçamos o princípio de “viagens de alto padrão” e não viagens de alto luxo.

Efeito: trabalhamos com clientes high end que estão preocupados com qualidade e descrição. Luxo é consequência de um estilo.

4) Menos é mais: mesmo nos hotéis e lodges mais exclusivos, nada é mais importante que o destino e a experiência autêntica.

Efeito: barefoot e nature luxury, opostos a propriedades que enfatizam apenas status ou ostentação.

5) Conteúdo original, com base em nossa concepção de viagens e não nas boas práticas de marketing digital ou nas imposições das mídias sociais.

Efeito: a autenticidade na comunicação é replicada nos nossos produtos e na relação com nossos clientes.

Conclusão

Abordamos nesse post um pouco a respeito das diretrizes atuais que norteiam o marketing digital das empresas do setor de turismo. Ao evidenciar as nossas práticas específicas, estabelecemos de forma objetiva a nossa atuação e de que forma desejamos nos diferenciar no mercado.

Caso tenha qualquer sugestão ou comentário, ficaremos honrados em receber o seu contato.

Adriano Lucchesi é administrador de empresas (FGV), MBA em economia do turismo (FEA-USP), fundador da Atlantic Connection Travel (1996) e da ACT Afrika Tours & Safaris (2009), operadoras de viagem especializadas em África e Ilhas do Índico, com sedes em São Paulo, Cape Town e Odessa.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Translate »