De São Paulo a Sea Point: a história da Atlantic Connection

3 minutos para ler

Do sonho à realidade

A trajetória da Atlantic Connection remonta a meados de 1995. Três amigos decidiram, ao se formar na faculdade, realizar um velho sonho: passar um ano viajando. Com experiência em viagens anteriores, a escolha recaiu sobre um roteiro pouco convencional na época: da Califórnia para a Coréia do Sul, Austrália e Indonésia para aquecer. De Singapura, o início de uma longa jornada por terra até a Europa, via Malásia, Tailândia, Camboja, Laos, Vietnã, China e Rússia, através do Transiberiano.

Grande Muralha da China em Simatai
A Grande Muralha da China em Simatai, 1996

Destinos não convencionais

O mundo ainda não havia experimentado a explosão da globalização, tampouco da internet. As informações sobre os destinos eram limitadas e muitos consideraram uma viagem arriscada. Após um ano espetacular e inesquecível, a ACT foi fundada em 13 de setembro de 1996. Nossa proposta inicial de oferecer roteiros de viagem em destinos não convencionais, fora do eixo América – Europa, foi realizada com pioneirismo no mercado brasileiro, em parceria com a Intrepid Travel, operadora australiana. A parceria dura até hoje.

Especialização em África

Logo nos primeiros anos, a ACT encontrou sua vocação principal como operadora especializada em África. O clima favorável ao turismo do pós-apartheid na África do Sul nos fez apostar no continente. De 1998 a 2006 nossas pioneiras viagens de aventura em pequenos grupos marcaram época. Em paralelo, conquistamos autoridade no mercado de viagens independentes para a África, nosso principal produto até hoje. O ano de 2009 marcou o início da ACT Afrika Tours & Safaris, nossa empresa na África do Sul, que coordena as operações na África e as vendas no exterior.

Produção da ACT em parceria com Fernanda Lima e a MTV na África do Sul, 2003

Estratégia global, ação local

Temos escritórios operacionais próprios em São Paulo (Brasil), Cape Town (África do Sul) e Odessa (Ucrânia). Bases setoriais de vendas em Lisboa (Portugal), Roma (Itália) e Sydney (Austrália), todos com consultores especializados em África. Acreditamos em um modelo inovador de operadora de viagens, com base na profunda especialização do produto, estrutura administrativa enxuta e distribuição global. O modelo tradicional de agência de turismo é oposto: produto generalista não especializado e distribuição local. Com esta visão, seguimos nossa trajetória estável, enfrentando com serenidade crises econômicas, novas tecnologias e pandemias.

Sea Point, Cape Town, South Africa
Oceano Atlântico, visto da sede da ACT Afrika em Sea Point, Cape Town.

Diversificação em África

A especialização e a presença da empresa em Cape Town levou a uma diversificação natural dos ramos de atuação, embora jamais nos afastando dos temas turismo, sustentabilidade e África: a operação de viagens continua sendo nosso core-business (agentes e clientes diretos), mas também atuamos em consultoria de desenvolvimento sustentável aplicado ao turismo (governos nacionais ou regionais, autarquias, unidades de conservação e tourism boards) e marketing de conteúdo (companhias aéreas, reservas de safári, hotéis e resorts). Desta forma, mantemos a interlocução com todos os players da cadeia do turismo envolvidos com a África.

Adriano Lucchesi é administrador de empresas (FGV), MBA em economia do turismo (FEA-USP), fundador da Atlantic Connection Travel (1996) e da ACT Afrika Tours & Safaris (2009), operadoras de viagem especializadas em África e Ilhas do Índico, com sedes em São Paulo, Cape Town e Odessa.

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Translate »